Destaques

Dois homens de Andradina são presos com armas e pecuarista autuado em R$ 10 mil em ação contra desmatamento em fazenda

Armas-Cassilândia-14-de-maio-de-2020

Após denúncia de desmatamento em uma fazenda em Água Clara, na divisa com Paraíso das Águas com uso de uma máquina esteira, a Polícia Militar Ambiental de Cassilândia acabou efetuando na manhã desta quinta-feira (14) a prisão de três homens em flagrantes e apreensão de cinco armas de fogo; sendo dois revólveres calibre 38, um rifle calibre 44, uma espingarda calibre 12 e um revólver calibre 32.

25 munições calibre 38, 26 munições calibre 44 e nove munições calibre 12 também foram apreendidas. A ação que ocorreu em meio a uma possível ação de grilagem de terra, envolve entre os infratores, dois moradores de Andradina (SP), de 23 e 55 anos, e o empreiteiro, de 50 anos, residente em Paraíso das Águas.

De acordo com a PMA, o trio estava em um barraco, e um deles sendo o dono da máquina afirmou que havia sido contratado para a ação, por um homem que mora em Inocência, que estaria representando o fazendeiro paulista.

A informação foi confirmada pela equipe policial, já que foi representada por seu advogado, quando foi feita a denúncia do crime ambiental. O advogado na ocasião, afirmou que os homens tentam realizar plantio, para depois requererem a posse.

APREENSÃO DAS ARMAS

Durante buscas nas proximidades do barraco, os policiais localizaram embaixo de galhadas, os dois revólveres calibre 38 municiados. Em seguida, embaixo de uma blusa em uma vegetação do lado externo, o rifle calibre 44 municiado. Na sequência, foram encontrados em colchões dentro do barraco, dois sacos plásticos com munições, de calibres; 38, 44 e 12.

Diante das evidências da localização das munições de calibre 12, os policiais iniciaram as buscas pela espingarda do mesmo calibre, que foi localizada embaixo de um sofá-cama.

Já nos pertences de um dos homens foi encontrado, o revólver calibre 32 sem munição. O homem assumiu a posse da arma. Já os demais, informaram que as outras armas e munições pertenciam ao fazendeiro.

Todos receberam voz de prisão, e foram levados com os materiais apreendidos para a delegacia de Polícia Civil de Água Clara. O trio irá responder por posse ilegal de arma de fogo. A pena para o crime é de um a três anos de detenção.

A PMA conseguiu os dados do proprietário da fazenda que contratou os trabalhadores, e o aplicou uma multa de R$ 10 mil pelo crime ambiental. A área total desmatada, medida com uso de GPS contabilizou 10 hectares.

Comente

Mais vistos

To Top