Castilho

Usina Viralcool bate recorde de moagem diária e ultrapassa 15 mil toneladas

98447768_2914337371993511_939238871516839936_o

98194416_2914337311993517_176512938138402816_n 98301576_2914337288660186_3744230636135645184_n 98467912_2914337298660185_4130348844586106880_n

O dia 17 de maio 2020 simbolicamente tornou-se um marco aos proprietários da usina Virálcool em Castilho. No último domingo a empresa bateu o recorde de moagem diária ao moer 15.084 toneladas de cana de açúcar. Esta foi a maior moagem alcançada em 14 anos de operação (a 15ª safra teve inicio em março).

Enquanto um quarto das empresas sucroalcooleiras do Brasil corre risco de fechar as portas neste ano devido ao coronavírus e a crise do petróleo, conforme matéria publicada em O Estadão, o grupo Toniello busca alternativas para fugir da crise. Antes mesmo da crise atingir o país a Viralcool já havia se preparado para colher, transportar e moer uma quantidade maior de cana em relação as safras passadas.

Porém, além do recorde na moagem, a empresa se empenha ao máximo na produção do açúcar, tendo em vista que é um produto destinado ao mercado externo. Sendo assim, com o produto vendido em dólar a empresa consegue se destacar em meio a essa grande crise e manter empregados seus 2.100 colaboradores.

Na contramão desses números o etanol não tem dado o retorno que se esperava. Como a empresa não consegue produzir apenas o açúcar, acaba produzindo o etanol mesmo que a preços baixos.

Para se ter uma ideia da desvalorização do produto, em janeiro a usina chegou a faturar à R$ 2,30 o litro vendido. Hoje o mesmo litro está abaixo do preço de custo, saindo da usina por R$1,54. No segundo semestre a tendência é de queda ainda maior podendo chegar ao valor de R$ 0,82 o litro.

Comente

Mais vistos

To Top